Greve do transporte metropolitano de Salvador é confirmada e seis cidades serão afetadas

Greve dos rodoviários da Avanço Transportes afeta transporte em seis municípios da RMS devido a irregularidades trabalhistas.

A partir das 0h desta sexta-feira, 17 de maio de 2024, os rodoviários da empresa Avanço Transportes iniciarão uma greve por tempo indeterminado em seis municípios da Região Metropolitana de Salvador (RMS): Madre de Deus, Candeias, Camaçari, São Francisco do Conde, Simões Filho e Santo Amaro.

A decisão pela paralisação foi tomada em assembleia geral extraordinária, realizada no dia 7 de março, e oficializada nesta segunda-feira, 13. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários da Região Metropolitana de Salvador (Sindmetro), Mário Cléber, a greve ocorre devido ao descumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho 2024 pela empresa.

Greve no transporte metropolitano de Salvador irá afetar ao menos 6 cidades. Foto: reprodução
Greve no transporte metropolitano de Salvador irá afetar ao menos 6 cidades. Foto: reprodução

Em entrevista, Mário Cléber informou que, nesse primeiro momento, os ônibus da Avanço Transportes que operam em Salvador e Lauro de Freitas não serão afetados. Isso se deve ao fato de que esses motoristas já tiveram suas questões trabalhistas regularizadas. No entanto, os rodoviários das outras cidades abrangidas pela empresa decidiram aderir à greve por tempo indeterminado, com o objetivo de pressionar a empresa a regularizar a situação dos motoristas que estão trabalhando sem carteira assinada.

De acordo com o Sindmetro, a greve contará com a adesão de 180 rodoviários e resultará na paralisação de 30 veículos, afetando cerca de cinco mil usuários diariamente. Os seis municípios impactados pela greve enfrentarão dificuldades de locomoção, visto que os ônibus da Avanço Transportes deixarão de circular até que a situação seja resolvida.

A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba) informou que está acompanhando a movimentação e que montará um plano de ação para minimizar os impactos causados pela greve. Em nota, a Agerba afirmou que está ciente da possibilidade de paralisação da empresa Avanço e que cobrirá a lacuna deixada pela falta de prestação de serviço com a ajuda das outras empresas do sistema, caso necessário.

A greve dos rodoviários da Avanço Transportes é mais um capítulo na série de problemas enfrentados pelo sistema de transporte público na Região Metropolitana de Salvador, evidenciando a necessidade de diálogo entre as empresas, os trabalhadores e os órgãos reguladores para garantir um serviço de qualidade à população.

google newa
+

Relacionadas